Turismo de Negócios de BH

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home

CARNAVAL DE BH TERÁ SOFTWARE COM INFORMAÇÕES SOBRE BLOCOS E ATRAÇÕES

E-mail Imprimir PDF

O Carnaval 2017 promete ser o maior da história de Belo Horizonte, no entanto a prefeitura garante que o folião não vai se perder com tantas atrações. Em parceria com o Google, está sendo desenvolvido um aplicativo para que os usuários possam acessar dados sobre as localizações dos blocos de rua, dos ônibus e de infraestrutura, como palcos e banheiros.

Assim, os foliões terão informações mais claras e organizadas sobre a festa, que em 2017 acontecerá oficialmente entre os dias 11 de fevereiro e 1º de março. “Neste ano, fizemos uma pesquisa com blocos e foliões e constatamos que as principais demandas são banheiros e um trânsito mais bem planejado. Muitos também reclamaram da falta de uma maior integração de informações sobre tudo que está relacionado ao Carnaval”, afirma Leônidas Oliveira, presidente da Belotur.

Segundo ele, há uma expectativa de a capital receber um número superior a 2,4 milhões de foliões no Carnaval – 400 mil a mais que em 2016. 

Haverá um aumento de 40% na infraestrutura para dar conta de acompanhar o crescimento de 30% no número de blocos de rua inscritos e um incremento de 46% na quantidade de desfiles, saltando de 247 este ano para 363 em 2017.

Trânsito
Para um melhor fluxo no trânsito, a Belotur solicitou à BHTrans um aumento significativo do efetivo nas ruas durante o Carnaval. “Vimos que a BHTrans tem que dobrar o seu efetivo para absorver o aumento no número de foliões e a demanda por qualidade”, diz Oliveira, acrescentando que a prefeitura disponibilizará 20 ônibus para circular gratuitamente pela avenida do Contorno – neste ano foram 12. 

Uma negociação também está em curso com os órgãos de segurança pública. A Polícia Militar prometeu disponibilizar 7 mil policiais, enquanto a Guarda Municipal irá contribuir com 1.800 agentes. “Estamos preparando para o início de janeiro dois seminários sobre o Carnaval. Vamos discutir com blocos e escolas de samba sobre a sustentabilidade e o crescimento do evento, sob a perspectiva da economia criativa. O Carnaval é um fenômeno que contribui para a economia da cidade”.

Fonte: Hoje em Dia